Não olhe o bolso do cliente, olhe a necessidade do cliente!

É incrível, mas sem você precisar falar você transmite uma grande mensagem. Sua roupas, seu cabelo, sua maquiagem e até a sua postura. Por isso quando você olha para um cliente e vê nele um grande cifrão desenhado logo isso fica claro.

Até Jesus falou o seguinte “que a boca fala do que está cheio o coração…”, se você tem no seu coração o desejo de sugar o cliente isso ficará claro não só nas suas palavras mas também em seus atos, e o pior de tudo é o seguinte, é horrível ser atendido por pessoas que só estão pensando no dinheiro, pensar no dinheiro é necessário, ele é uma das razões de todos nós trabalharmos, claro, porém, pensar só no dinheiro é doentio e diminui o vendedor a um mercenário disfarçado.

Vendedores que pensam em primeiro lugar na necessidade do cliente e não no bolso do cliente conseguem atender com excelência, isso leva o atendimento a um nível de profissionalismo que se diferencia no mercado, faz com que o cliente renda-se ao vendedor e passe a confiar nele, quando um vendedor se preocupa com o cliente ele comporta-se como um consultor durante todo o atendimento, fazendo com que o cliente perceba qual é sua real necessidade e também ensinando-o a fazer a melhor escolha.

O resultado deste tipo de comportamento é que seu cliente ficará marcado pelo seu atendimento, lembrará de você mais como um amigo do que como um vendedor, e o grande lance é que as pessoas gostam de comprar de amigos e não de vendedores. Amigos são indicados, vendedores não, amigos são de confiança, vendedores não, amigos são o que todos estão procurando no momento de fazer uma compra, vendedores são rejeitados no momento de uma compra, se possível ficariamos sem eles. É claro que falo de vendedores ruins, estes que queimam nossa profissão, vendedores bons ficam disfarçados, são vistos como amigos.

Mas o grande lance de olhar a necessidade do cliente é, a longo prazo você se diferenciará de toda a concorrência, os outros vendedores dirão, “o que ele tem de diferente”, e a respota será, “ele tem amigos”, ou “ele conhece muita gente”, estes são os vendedores que se diferenciam e fazem um trabalho que dura, aquele primeiro tipo, o que só olha para o bolso, bate cota no primeiro mês, no segundo todo mundo foge dele.

Então foco na necessidade do cliente, sinceridade no atendimento e boas vendas.

About these ads

Sobre Pedro Amancio

Deus, família, negócios, minhas paixões! Necessáriamente nessa ordem.

Publicado em 12/03/2009, em Vendas e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Francisco Napoli

    Caro amigo sou empresario lojista e comecei minha carreira como vendedor, de uma grande empresa, discordo conscientemente de seus comentarios acima, que as pessoas gostam de comprar de amigos, como diz o ditado popular amigos!amigos! negocios a parte, veja bem a relação de amizade entre cliente e vendedor deve se estreitar disfarçadamente como voce mesmo disse dos bons vendedores,os ruins jamais baterão cotas nem no primeiro mes que dira nos proximos,ainda mais se tornando amiguinho do cliente sera capaz ate de pedir um dinheiro emprestado pensando no bolso do amigo, na minha opinião o vendedor deve se focar literalmente no bolso do cliente, criando uma relação de confiança no profissional por perceber suas reais necessidades assim e que se estabeleçe a diferença da concorrencia, tornando-se um fiel cliente e não um amigo fiel.

  2. Francisco,

    Onde não há discordância há ditadura, esse blog é uma democracia, então fique a vontade pra discordar ou concordar.

    Um grande abraço,

    Pedro Amancio

  3. Apesar dos comentários neste blog, serem bastante diferentes uns dos outros, deixo o meu como profissional. Trabalho na Portugal Telecom já faz algum tempo e passei por varias fases na minha carreira comercial. Quando entrei verifiquei que não vendia muito, e via comerciais a vender imenso, tal como o Pedro descreve, como devem saber a venda porta a porta é bastante diferente das vendas em loja, pois a grande diferença está no procurar ou ser procurado. Estou em pleno acordo com o Pedro pois no porta a porta temos que ir buscar o cliente à sua zona de conforto, no espaço dele, você está a ser o caçador e a o cliente a caça, se assustar a caça ela foge, tal como o cliente, temos que fazer o papel do lobo na roupa da avozinha, mas manter esse papel mesmo após a venda, pois nunca se sabe quando terá que bater à porta dessa pessoa novamente. Seja Honesto com o seu cliente e passará a ser seu amigo, ai sim poderá ajudar o cliente a verificar a sua necessidade pelo produto que a empresa comercializa, lembre-se você é um simples intermediário entre a empresa e o cliente, não necessita engana-lo para lhe vender algo, com a confiança que transmite a venda surge naturalmente sem muito esforço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.